quarta-feira, 29 de março de 2017

OLHA DO QUE BACABAL SE LIVROU! Aliado de Roberto Costa é acusado de integrar organização criminosa responsável por desviar dinheiro público.


Roberto Costa, o acusado Assis Filho
 e Marcelinho de RC.
Pelo menos dois futuros integrantes de uma eventual administração Roberto Costa, em Bacabal, tiveram seus nomes citados em denúncias feitas na imprensa nacional.

Organização criminosa

Francisco de Assis Costa Filho, atual secretário nacional de Juventude, foi denunciado pela Promotoria de Justiça da Comarca do município de Pio XII por peculato, falsidade ideológica, falsificação de documentos e participação em uma organização criminosa responsável por desviar dinheiro dos cofres públicos por meio de nomeações de funcionários fantasmas naquele município, entre 2014 e 2016.

A denúncia mostra que em maio de 2016, Assis Filho aparecia na folha de pagamento do município nos cargos de secretário de Cultura, professor e procurador-geral do município. A denúncia foi feita em janeiro de 2017.

Além de Assis Filho, a denúncia aponta mais 47 pessoas.

https://2.bp.blogspot.com/-bndYyCkYCrw/WNv-S0HKpXI/AAAAAAAA5so/07ds3r1OaD4oLy54UVIk5_9QFVP59Ao7gCLcB/s400/ANDR%25C3%2589%2BCAMPOS%2Be%2BJO%25C3%2583O%2BALBERTO.jpg
André Campos, que já foi diretor do DETRAN-MA,
ao lado do seu padrinho político João Alberto.

Na segunda-feira (27) a edição do Jornal Nacional (Rede Globo) voltou a exibir dezenas de carros amontoados no pátio dos fundos do prédio da Funasa - Fundação Nacional de Saúde, acumulando água parada no pátio de um órgão federal que tem André Campos, apadrinhado do senador João Alberto, como superintendente no Maranhão.

Em fevereiro, o Jornal Nacional mostrou que os carros estavam jogados na parte da frente do pátio da Funasa. Acumulavam água parada e larvas de mosquitos, ambiente perfeito para a reprodução do Aedes aegypti, que transmite dengue, chikungunya e zika. E o perigo era maior porque os veículos estavam ao lado do hospital estadual Getúlio Vargas, que trata de pacientes com Aids e tuberculose e têm baixa imunidade.

Depois da reportagem, a Funasa prometeu tomar providências e parte dos veículos foi retirada no dia seguinte e levada para os fundos, tudo feito no improviso. “Às vezes a vontade do administrador é de resolver para ontem, é de resolver de imediato, mas as burocracias administrativas e a legislação existente no nosso país às vezes não nos permitem fazer as coisas em tempo mais ágil”, afirmou André Campos.

Fantasmas camaradas

André Campos e Assis Filho, apesar de estarem ocupando cargos federais, eram nomes certos na equipe (quase toda de fora) do primeiro escalão da administração Roberto Costa caso esse não tivesse sido derrotado nas urnas na última eleição para prefeito de Bacabal ocorrida em outubro de 2016, e, muito provavelmente, como funcionários "Gasparzinho", o fantasma camarada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário