terça-feira, 31 de julho de 2018

Pré-candidato ao senado Weverton Rocha declara apoio a candidatura de César Brito e Florêncio Neto em Bacabal, e confirma presença na convenção do dia 4, na AABB


O deputado federal Weverton Rocha, presidente estadual do Partido Democrático Trabalhista (PDT), e pré-candidato ao senado apoiado pelo governador Flávio Dino, confirmou em reunião realização na tarde de terça-feira, dia 31, em São Luís, que estará presente na convenção que homologará o nome de César Brito como candidato a prefeito de Bacabal, e Florêncio Neto como candidato a vice, chapa que será apoiado pelo prefeito eleito em 2016 Zé Vieira, que teve seu mandato cassado por força de ordem judicial. 

Durante o encontro Weverton Rocha declarou total apoio a pré-candidatura de César Brito e Florêncio Neto a prefeitura de Bacabal. Assim como ele, o governador Flávio Dino também deve entrar com força na eleição suplementar, como demostração de coalizão/união das forças partidárias estaduais e municipais  em torno do projeto de reeleição do governador, e afim de manter a importante parceria institucional em Bacabal que vinha sendo adotada em compromisso com o povo e em aliança com Zé Vieira.

O grupo liderado pelo eterno prefeito Zé Vieira está se movimentando em torno do projeto que representa a luta contra o Sarneysmo em Bacabal. Será o próprio Zé Vieira que irá apresentar seus candidatos durante a convenção que promete ser uma das maiores da historia politica de Bacabal. Pois marca a passagem da herança politica da maior liderança da cidade para os jovens César Brito e Florêncio Neto.

Devem marcar presença na convenção que acontecerá no sábado, dia 4, a partir das 8h00, na AABB de Bacabal: Deputado estadual Carlinhos Florêncio (PCdoB), Deputado  Federal Weverton Rocha (PDT), Deputado Federal André Fufuça (PP), Pré-candidato a Deputado Federal Simplício Araujo (SD), Pré-candidato a Deputado Federal Júnior Lourenço (PR), Prefeito de São Luís Gonzaga Dr Júnior Martins (PDT), Vereadores e ex-vereadores, ex-secretários municipais, e a população de modo geral. A expectativa é que mais nomes da politica estadual confirmem presença nos próximos dias.

quinta-feira, 19 de julho de 2018

ÀS VÉSPERA DO BACABAL FOLIA, SERVIDORES DA SÁUDE PARALIZAM SUAS ATIVIDADES E ANUNCIAM INICIO DE GREVE GERAL POR TEMPO INDETERMINADO.



70% dos servidores que atuam na prestação de serviços essenciais de saúde pública no município de Bacabal estão de braços cruzados desde as primeiras horas de hoje, dia 19. A medida extrema se da após negociações frustradas com o secretário de saúde Silas Duarte, que apesar da boa vontade, não teve autonomia para resolver o problema do não pagamento dos funcionários.

A alegação de que “o governo provisório comandando por José Sarney, João Alberto e Roberto Costa ainda não possuem acesso total às contas bancarias” não tem convencido mais, pois, a Caixa Econômica Federal se pronunciou, em resposta ao oficio nº22/2018 enviado pelo Sindicato dos Funcionários Públicos de Bacabal, afirmando que os ordenadores de despesas indicados pelo prefeito interino Edvan Branão já estão com as senhas das contas, inclusive realizando movimentações financeiras.

GREVE GERAL EM PLENO BACABAL FOLIA

Se até às 18hs de hoje o pagamento não for efetuado todos os funcionários da saúde irão efetivamente entrar em greve geral por tempo indeterminado até que Sarney, João Alberto e Roberto Costa autorizem o prefeito Edvan Branão a pagar o povo.  O mais trágico e preocupante de tudo isso é o fato dessa greve ter a possibilidade de ser deflagrada em pleno Bacabal folia, evento carnavalesco que movimenta a cidade e atrai milhares de foliões e principalmente turistas.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Promoção pessoal,, falácias e manobras eleitoreiras predominam na gestão sem rumo de Edvan Brandão

Entre falácias, acusações sem provas, demissões em massa, não pagamento de professores e demais servidores a gestão interina que hoje administra Bacabal – e já tem data para acabar – também viola um dos princípios básicos da administração pública que é o da impessoalidade, acarretando ato de improbidade administrativa, previsto no artigo 11 da Lei nº 8.429/92.
Me refiro a promoção pessoal e forçada de Edvan Brandão (PSC), presidente do poder legislativo respondendo pelo poder executivo municipal.
Isso ocorre deste quando o interino assumiu o cargo e se intensificou com o início de uma campanha denominada de ‘Cidade Limpa‘, que está mais para ‘Me Engana Que Eu Gosto’, pois não vai além da varredura de ruas e avenidas. Fica para trás a buraqueira, que, quando na oposição, o grupo político ao qual Edvan pertence tinha como um problema fácil de ser resolvido.
Sorria, você está sendo enganado!
O objetivo dessa operação midiática, todos sabemos, é tão somente passar a falsa impressão que a gestão interina tem agido, quando na realidade permanece sem rumo, ainda mais agora com a confirmação da nova eleição para o próximo mês de outubro, uma verdadeira ducha fria nas pretensões de Edvan - que havia sido convencido que ficaria no cargo até março de 2019-, mas, principalmente, do deputado estadual Roberto Costa (MDB), candidato a prefeito derrotado em 2016, que almejava se candidatar novamente, isso se fosse reeleito para a Assembleia Legislativa.
Mentor
Por falar em Roberto, é ele quem estar por trás de todas as manobras e atos sorrateiros promovidos por Edvan, desde quando ainda só respondia pelo legislativo municipal.
Todos devem se recordar que foi por iniciativa dele que as contas do município foram bloqueadas e acarretou inúmeras dores de cabeça, inclusive esse atraso de salários que perdura até hoje.
Rasgando o regimento
Com Edvan agora respondendo interinamente pelo executivo, é Melquíades Neto (MDB) que age de comum acordo com os interesses eleitoreiros de Roberto Costa e tem impedido que o suplente de vereador Erivelto Martins (PRB) assuma na câmara a vaga aberta com a interinidade de Edvan na prefeitura.
Tal atitude resultou em muitos questionamentos por parte dos parlamentares, sete deles, além do próprio Erivelto, acabaram se retirando do plenário durante a sessão ordinária desta quarta-feira (11). Lá, como não poderia ser diferente, estava o deputado com o pretexto de prestigiar a posse do colega de partido Dedê da Trizidela (MDB) que assume a vaga de Natália Duda, agora secretária municipal de Finanças.
Se sentindo injustiçado, Erivelto Martins deve recorrer à justiça comum, pois, de acordo com o Artigo 31 do Regimento Interno da Câmara Municipal, “O Presidente da Câmara, quando estiver substituindo o Prefeito nos casos previstos em lei, ficará impedido de exercer qualquer atribuição ou praticar qualquer ato que tenha implicação com a função legislativa”.
O inciso 2º do Artigo 79 também corrobora com o entendimento do vereador. “§ 2º Será considerado automaticamente licenciado o Vereador investido no cargo de Prefeito ou Secretário Municipal”.

Tratamento privilegiado indevido
No meio de tantas violações que o grupo da gestão interina comente ainda está a que versa sobre o tratamento privilegiado que a TV Difusora/Bacabal dá ao pré-candidato Roberto Costa, bem como ao MDB. De acordo com as regras eleitorais, a veiculação de propaganda eleitoral nas emissoras por intermédio dos locutores, apresentadores, inclusive telespectadores e ouvintes são atos ilegais. 
O Ministério Público Federal no Maranhão, por intermédio da Procuradoria Regional Eleitoral, encaminhou recentemente às emissoras de rádio e TV recomendação no sentido de impedir essa prática.
Pela recomendação, as emissoras de rádio e TV terão que fiscalizar o comportamento de todos os que se utilizam de espaços em suas programações, sejam seus empregados ou terceiros, a fim de que se abstenham de divulgar qualquer mensagem ou de realizar coberturas jornalísticas que possam configurar propaganda eleitoral ilícita, adotando as medidas necessárias para o fiel cumprimento da legislação eleitoral, sob pena de responder judicialmente pela ilegalidade. Lembrando que a propaganda eleitoral está vedada até 15 de agosto.

Segundo a PRE, o uso indevido dos meios de comunicação para divulgação de projetos políticos de candidatos em programas, encontros ou debates de rádio, televisão e internet é classificado como abuso de poder de mídia. Ainda de acordo com a recomendação, as empresas de comunicação não podem induzir qual candidato é mais apto para a função pública, mesmo que de forma dissimulada, ou seja, terá que conferir tratamento isonômico a filiados de partidos políticos e pré-candidatos em entrevistas e programas.
E mais, emissoras de rádio e TV, também pela recomendação, terão que zelar pelo conteúdo vinculado ao contexto eleitoral, evitando o engajamento à eventual candidatura ou a promoção de tratamento privilegiado por meio de propaganda eleitoral negativa de outros pretensos candidatos ou divulgação acentuada das ações dos pré-candidatos às eleições de 2018, a fim de prevenir o uso indevido dos meios de comunicação.
Edvan fazendo selfie ao lado de secretários e do vereador melquíades.